A importância da mulher na história

3

13 de fevereiro de 2013 por deglutindopensamentos

Rebeca Duvoisin

Num dia desses tive a infelicidade de me deparar com um post de um blog machista em que o autor fez uma piadinha insinuando que as mulheres não criaram nada. No post, ele começa com a seguinte frase: “Todos os grandes feitos das mulheres para a humanidade num post só”, e para por aí… Pois bem, resolvi então escrever essa resposta para dar a oportunidade de passar um pouco de informação não apenas ao autor do post, mas a todos aqueles que, ou acharam engraçado um texto em branco, ou simplesmente concordaram com o que o autor colocou.

Primeiro, gostaria de explicar um pouco sobre o significado da palavra “criar”. Resolvi pesquisar sobre ela, pois acredito que o autor se referia às contribuições realizadas por mulheres que, de certa forma, mudaram o rumo da humanidade. Segundo o dicionário Michaelis: “(lat creare) vtd 1Dar existência a, tirar do nada: “No princípio criou Deus o céu e a terra” (Bíblia, tradução do Padre Figueiredo). O ateu nega quem o criou do mero nada. Vtd 2 Dar origem a; formar, gerar: O medo cria fantasmas. Vtd 3 Imaginar, inventar, produzir, suscitar: Criar uma religião. “Deus criou as boas coisas só para os parvos?” (Camilo Castelo Branco). Vtd 4 Estabelecer, fundar, instituir: Criar um colégio. Criou freguesias nas cidades que visitara. Vtd 5 Começar a ter; adquirir:Criar cabelos brancos. Vtd 6 Fazer, formar: Criou gloriosas tradições. Vtd 7Amamentar: “E a mãe que o filho cria” (Luís de Camões). Vtd 8 Alimentar, sustentar (uma criança): Com enorme sacrifício conseguiu criar os filhos. Criou-a com leite de vaca. Vtd 9 Cultivar (plantas): Criava em seu jardim roseiras maravilhosas. Vtd 10 Educar: Criou os filhos no trabalho e na prática da virtude.vpr 11 Crescer, desenvolver-se: Esses animais criam-se bem. Vpr 12 Nascer: “Nesta terra se criam perigosos, formosos olhos” (Morais). Vtd 13 Exercer a pecuária, como atividade econômica”.

Eu sei que essa parte da gramática é um pouco chata, mas se alguém pretende discutir algum assunto, é de extrema importância que saiba o verdadeiro significado das palavras que quer utilizar. Como podemos ver, no dicionário a palavra “criar” pode ter diferentes interpretações, isso depende do contexto em que é utilizada.

Como sou psicodramatista, acredito fielmente que o ser humano nasce com um potencial para ser espontâneo, ele não se torna espontâneo, ele é. A criatividade, o ato de criar algo novo, seja ele um comportamento, um pensamento ou algo material, depende exclusivamente do quão espontâneo ele está naquele momento. Isso mesmo, está, e não é. A espontaneidade pode diminuir por determinados motivos e reaparecer por outros. Mas eu queria mesmo é falar da criatividade. Como eu propus, este post é uma resposta ao indivíduo infeliz que acredita que nenhuma mulher na história criou nada de importante. Agora que já sabemos o que significa “criar”, posso citar algumas mulheres que, com criatividade, fizeram diferença nesse mundo.

Marie Curie: Primeira mulher a receber dois prêmios Nobel. Um, pelos seus estudos sobre a radioatividade e outro por ter descoberto os elementos Rádio e Polônio. Os prêmios foram recebidos nos anos de 1903 e 1911.

Marie Curie

Marie Curie

Enheduana: Foi sacerdotisa da Suméria e a primeira autora conhecida na história da literatura universal, por ter rompido com uma antiga tradição ao assinar as próprias obras.

Temistocléia: Matemática e Filósofa que introduziu Pitágoras nos princípios da ética.

Theano: Matemática e Física, deu continuidade à escola de Pitágoras.

Maria, a judia: Alquimista: Descobriu uma jeito de aquecer seus experimentos de forma mais lenta, utilizando água, para que assim pudesse controlar melhor a temperatura. Tal experimento ficou conhecido como banho Maria.

Hildegarda de Bingen: Nasceu na Alemanha em 1098 e morreu em 1179. Foi mística, teóloga, compositora, pregadora, naturalista, médica informal, poetisa, dramaturga e escritora. Respeitada eu seu tempo, lutou contra os preconceitos que cercavam as mulheres.

Rosa de Luxemburgo: Era doutora em ciências políticas e fundou partidos comunistas na Alemanha e Polônia. Revolucionária, não acreditava que o socialismo viria por meio de reformas. Escreveu diversos livros, sendo “A acumulação do capital” (1913) o mais importante.

Rosa de Luxemburgo

Rosa de Luxemburgo

Trotula: Foi a principal médica na tradicional Escola de Salerno e inovou ao aliar o estudo e a pesquisa da medicina à pratica da profissão. Ela ainda se destacou no campo da obstetrícia e doenças sexualmente transmissíveis.

Melaine Klein: Teórica da psicanálise dedicou-se aos estudos de crianças. Hoje é uma das maiores referências no campo da psicoterapia infantil.

Karen Horney: Iniciou seus estudos na psicanálise e foi uma das teóricas desta mesma linha que se contrapuseram às ideias de Freud, contribuindo para estudos mais aprofundados da psicologia.

Frida Kahlo: Grande artista mexicana nascida em 1907. Influencia as gerações atuais com suas obras impactantes.

Clarice Lispector: Escritora naturalizada brasileira que chamou a atenção do público pela forma diferenciada que conduzia seus textos.

Mary Shelley: Autora da obra Frankenstein a qual nada mais é do que uma crítica à forma como a Ciência traçava seu caminho e não uma história de terror como é vista hoje em dia. Uma mulher muito a frente do seu tempo, conseguiu perceber e passar de uma forma fenomenal a história de um cientista maluco capaz de modificar as pessoas, algo muito parecido com o que é feito atualmente pela ciência.

Mary Shelley

Mary Shelley

Pois bem, aí está uma pequena lista com algumas mulheres que contribuíram de alguma forma para a humanidade, mas acredito que compreender e aceitar esse fato deve ser um pouco difícil para pessoas que apenas adquiriram um comportamento que é repetido há séculos e que não conseguem ampliar suas ideias. Aproveito ainda pra dizer que não sei se quem deveria ler esse post está realmente lendo, pois acredito que o fato de manter uma mesma ideia sem buscar novas informações só mostra o quanto essas pessoas não praticam o hábito da leitura. Não lendo algo novo, não aprendem, não aprendendo algo novo, não criam.  

Anúncios

3 pensamentos sobre “A importância da mulher na história

  1. Margareth disse:

    Olha, eu queria poder mandar um recado direto para o cara que colocou o post, mas enfim, li boa parte do texto e faço aqui um resumo, de todas as obras que a mulher criou,:ele deve ser filho de chocadeira, pois não existe obra melhor do que ser mãe, simples assim.

  2. Thaís disse:

    adorei… só alguém com um olhar mto sensível mesmo para tratar de um assunto desses com tanta classe… parabéns!

Degluta conosco...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Capitão Barba Ruiva, a sua livraria virtual

Capitão Barba Ruiva a melhor opção em livros

Baú

O que tem pra hoje?

fevereiro 2013
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728  

Leitores

Nós que aqui estamos, por vós esperamos.

  • 122,136 pessoas já nos viram

Medalhas do blog

%d blogueiros gostam disto: